Ir para conteúdo

coment_infos_bkpFB

Membros
  • Total de itens

    2.077
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    8

coment_infos_bkpFB ganhou no último dia Junho 8

coment_infos_bkpFB teve o conteúdo mais curtida!

Reputação

59 Excellent

2 Seguidores

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Por experiência própria acho qie doses altas de psicodélicos podem agravar sua condição, ainda mais que não temos total certeza do que ingerimos. Nesse caso, se deixar de lado os psicodélicos não for uma opção pra você, acredito que microdoses de cogu seja o mais aconselhado, pois vc mesmo pode colher e sabe exatamente o que está ingerindo.
  2. E uma caixinha d surpreza cogumelos eu ja vi curar trastornos ! Mais tbm sei e tenho conciencia q tbm pode piorar ! Entao isto e muito muiti complexo para afirmar algo tanto contra como a favor ! Cabe a pessoa estudar e ver se esta disposto a par qualquer preço !
  3. Conexões são nossa essência! Antes de dormir, vi esse post e me tocou profundamente. Tenho lidado com problemas de dependência e após esse post, eu fiquei num estado de êxtase tão grande que dormir não foi mais viável. Recentemente tenho pesquisado bastante sobre xamanismo, enteógenos, ervas (/fungos) de poder, as quais são tradições milenares de nossos ancestrais. Depois de ver esse post, me lembrei de trips de profunda conexão, e duas delas me vieram a mente de uma forma muito intensa. Uma de aztec, outra de cogumelos. Ambas foram ouvindo 'Man With No Ego', porém albuns diferentes (Blinkers Removed e Web of Life, respectivamente). Em outras experiências, eu percebi diferenças explícitas na força do LSD e da psila, porém nessas duas foi uma sensação de conexão MUITO similar. Algo que nunca tinha acontecido antes. Me chamou a atenção o fato de álbuns diferentes e substancias diferentes causarem uma conexão similar. Percebi que ambos albuns do Man With No Ego tem frequência de 432Hz. E decidi pesquisar sobre frequências sonoras. Me deparei com a escala de freqüência Solfeggio, e a evolução da geometria sagrada. Me pirou. Depois disso, ainda sem conseguir dormir, decidi assistir um documentário (https://www.youtube.com/watch?v=BGFCcum5dhU), que me pirou de vez. A experiência enteógena é uma forma de conexão muito profunda. Conexão consigo. Com o ambiente externo. Com a natureza. Com o próximo. Com o som. Com a unicidade. E nesse documentário fala sobre a música também, que é uma forma de nos conectarmos ""musica e ritmo estão dirigindo forças conectivas que criam um tipo de entrosamento coletivo (...) em outras palavras, estamos sentados aqui agora. eu tenho meu estado cerebral, você tem seu estado cerebral, talvez sejam ou não similares um ao outro. mas se eu colocar uma música ritmica e começarmos a batucar com o pé em seu ritmo, então isso é, essencialmente, uma forma muito efetiva de nos entrosarmos, para entrarmos num estado mental similar."" (motivo pela qual a cultura rave é tão incrível!!! a conexão coletiva no mesmo dale HAHAHAHA) enfim, me empolguei e me estendi mais que o esperado, mas é isso!! (RE-)CONECTEM-SE!! Haux Haux ❤️
  4. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    "Então João, o mecanismo primário de neurotoxicidade da serotonina nesses neurônios é similar ao da dopamina, mediado pela monoaminoxidase (B para dopamina e A para serotonina/norepinefrina), que age sobre o grupo amina na extremidade da molécula, ""substituindo-o"" por um oxigênio com ligação dupla ao radical, resultando em um aldeído (5-Hidroxiindolaldeído e 3,4 dihidroxifenilacetilaldeido para serotonina e dopamina respectivamente, que depois serão metabolizados pela ALDH) e espécies reativas de oxigênio, como o superóxido. São essas espécies reativas de oxigênio que causam o estresse oxidativo que leva à apoptose dos neurônios nesse caso. O LSD tem a maior parte do seu efeito por conta do agonismo direto com certos receptores serotoninérgicos, sem afetar toda a cadeia de sinalização desde o começo, lá no neurônio pré-sinaptico como o MDMA. O MDMA, por sua vez, afeta sim, tanto a liberação de neurotransmissores, quanto os transportadores responsáveis pela sua recaptação. O ponto do tópico é que existem indícios de neurotoxicidade maior em usuários que fazem candyflip/hippie se comparados à usuários que utilizam apenas uma das drogas. Na minha opinião isso tem ligação com o fato do LSD 'estimular' esses dois tipos de receptores de serotonina que citei acima (5-HT2A e 5-HT1A) de forma muito mais forte que o MDMA, sendo ambos responsáveis pela modulação da secreção de dopamina em outras áreas do cérebro, há sinergia entre essa secreção de dopamina causada pelo LSD (Agonismo dos receptores 5-HT2A e 5-HT1A) e inibição da recaptação da dopamina liberada nesses mesmos locais (bloqueio do DAT por conta do MDMA). Essa combinação de fatores levaria a uma situação onde se observaria um estresse oxidativo maior pelo fato de uma quantia maior de dopamina acabar tendo por destino a MAO-B em tais locais, coisa que não acontece usando somente uma das drogas."
  5. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    que baile químico e biológico fantástico que vc promoveu aqui ❤️ Minha interpretação do contexto: O MDMA interfere em vários neurotransmissores causando liberação de serotonina (5-hidroxitriptamina), dopamina e norepinefrina. O uso de MDMA prolongado resulta em destruição a longo prazo de neurônios produtores de serotonina. Afinal, você ficar forçando descargas brutas de serotonina toda hora, acaba por desgastar a galera que produz essa serotonina pra você. Até onde eu consegui assimilar, o LSD age inibindo o sistema de recaptação de serotonina, sendo assim, com o tempo, vai sobrando cada vez mais serotonina nas fendas sinápticas. Forçar essa sobra de serotonina com o LSD não é tão nocivo quanto forçar uma descarga de toda a serotonina da reserva de uma vez com o MDMA. Porém, combinar essas duas estratégias de serotonina pode potencializar o dano neural no fim das contas. Muito aberto a correções e acréscimos, e muito grato pela aula até aqui.
  6. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    dopamina é ❤️ também, já curti muito huahuahua
  7. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    Limitando-se ao tópico, minha teoria é que haja uma sinergia entre ambos na questão da dopamina, havendo maior secreção dela por conta do psicodélico e também um bloqueio na recaptação por causa do efeito do MDMA sobre o transportador responsável. Porém, como o OP explicou, a literatura sobre a combinação é limitada
  8. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    calma ai, vou fazer uma facul pra conseguir entender kkkkk brincadeira só, mas que não entendi nada é verdade.
  9. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    "Sobre o nível de dopamina subir mais com um hippie/candyflip do que com apenas MDMA: 1 – Farmacodinamicamente falando, MDMA é: 1.1 - Substrato para os transportadores de monoaminas (DAT, SERT, NET), causando inibição competitiva da recaptação delas, sendo esse um dos mecanismos de ""entrada"" do MDMA nos neurônios monoaminérgicos. Não tenho mais a fonte dessa informação, era um livro de que um gringo postou escaneado, porém até onde me recordo, o MDMA, ao contrário da PEA ou outras anfetaminas, tem uma afinidade muito maior pelo transportador da serotonina (8~12x mais, não sei precisar o número exato), estando aí um dos principais motivos do efeito primário dele ser serotoninérgico (e também um dos motivos de ser comum o pessoal se emocionar e ficar com as pernas moles/ter que sentar no primeiro contato com MDMA de verdade); 1.2 - Dentro dos neurônios ele é um bloqueador do VMAT2, que tem por função captar os neurotransmissores do citosol para as vesículas dos neurônios pré-sinápticos, consequentemente causando o aumento da concentração das monoaminas no citosol neuronal. 1.3 - Concomitantemente ao bloqueio do VMAT2, há a ativação do TAAR1 e consequente ativação da PKA e da PKC, levando a uma subsequente fosforilação dos transportadores de monoaminas, que, ou começarão a trabalhar 'ao contrário' (levando os neurotransmissores do citosol à fenda sináptica), ou serão internalizados no neurônio, causando inibição não competitiva. 1.4 - Um agonista relativamente fraco dos receptores 5-HT2, principal mediador da ação do LSD e outros psicodélicos, como a psilocina. Curiosamente o MDA é um agonista muito mais forte desses mesmos receptores, também sendo um composto acentuadamente mais psicodélico. 2 - Já o LSD (vou falar especialmente do bendito aqui, mas isso se estende pra uma boa parte dos psicodélicos): 2.1 - Age sobre uma gama de receptores serotoninérgicos; 2.2 - Em específico pro assunto, vou ressaltar a altíssima afinidade dele pelo receptor 5-HT2A, que hipoteticamente está envolvido em doenças como a esquizofrenia de forma significativa, sendo um modulador da secreção de dopamina no corpo estriado e no cortex cerebral. Ativação do receptor causa uma liberação aguda de dopamina nessas áreas, estando isso ligado diretamente a surtos psicóticos observados recorrentemente em esquizofrenicos, além de POSSIVELMENTE (ressaltando isso, ok? Não tem literatura sobre) ser um dos principais mecanismos envolvidos em bad trips, que são extremamente similares aos supracitados (Falo de bad trips no estilo do cara do ""samu? Seu cu"", alucinação total). Outra prova disso é que haloperidol (Antagonista dos receptores D2) costuma ser extremamente efetivo pra tratar casos assim, sendo geralmente a opção quando benzodiazepínicos falham. Há evidência de uma possível superioridade do aripiprazol em esquizofrênicos quando comparado ao haloperidol, sendo o primeiro um antagonista dos receptores 5-HT2A, provavelmente por bloquear o início da cascata de eventos que levaria/levou ao surto. 2.3 - Também há uma hipotese do receptor 5-HT1A (outro cuja afinidade do LSD por é enorme) estar envolvido na ativação de vias dopaminérgicas, eu não saberia dizer até onde isso é valido com psicodélicos, porém sei que há um aumento associado à psilocibina quando tanto os receptores 5-HT1A quanto os 5-HT2A são ativados. 3 - Levando isso para a realidade, seria possível observar uma sinergia entre ambos no que é relacionado à dopamina, tanto no efeito do MDMA nos neurônios dopaminérgicos (especialmente sobre o DAT nesse caso, bloqueando a recaptação dela), quanto na liberação de dopamina mediada pelos receptores 5-HT2A/possivelmente 5-HT1A. A neurotoxicidade seria fruto da degradação da DA pela MAO-B."
  10. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    Eu mesmo nunca usei só MDMA haha, só MDMA+LSD ou cogumelos
  11. coment_infos_bkpFB

    MDMA + PSICODÉLICOS: UM RISCO SUBESTIMADO?

    Bela contribuição, lerei com calma depois. Só valeu!! ??
  12. coment_infos_bkpFB

    REFLEXÃO SOBRE A VIDA

    "lindo texto Neyzon?? venho deixar uma frase de Osho: ""Se você consegue ser feliz consigo mesmo quando está sozinho, você acaba de adquirir o segredo para felicidade."""
  13. coment_infos_bkpFB

    DICAS PARA SE MANTER SEGURO

    Custa 20$ não, então não é mdma.
  14. coment_infos_bkpFB

    DICAS PARA SE MANTER SEGURO

    Perfeitamente colocado irmão! Obrigado pelo depoimento. Fico muito feliz qdo leio algo do tipo: ""Após entrar neste grupo tive um olhar diferente..."" Essa é a ideia!
  15. coment_infos_bkpFB

    DICAS PARA SE MANTER SEGURO

    Efeitos pos uso sao eternos. Falo tudo.
×